top of page

Linguagem inclusiva: vamos promover a diversidade?

A linguagem inclusiva é uma poderosa ferramenta de transformação social, e precisa ser valorizada como tal! Por isso, quero te contar mais sobre este tema, mostrando como essa forma de comunicação pode melhorar a nossa cultura corporativa. Vamos juntos?!


Um dia você estava rolando o feed do seu Instagram e se deparou com a seguinte chamada: ‘XXXXX se identifica como não-binário’; ou comentou em algum lugar que ajudou um idoso na rua e foi orientado a falar ‘pessoa idosa’.


Confesse, às vezes sua mente fica confusa com tantas regras, não é? É compreensível. A verdade é que a linguagem inclusiva não é difícil nem foi criada para complicar a comunicação. Pelo contrário;seu propósito é bem claro: dar espaço à diversidade que sempre existiu, mas que por muito tempo foi ignorada devido aos preconceitos enraizados na sociedade.


Na busca por um ambiente corporativo mais inclusivo, é fundamental não apenas entendermos os termos usados, mas também naturalizar essa forma de comunicação, incentivando seu uso por todos no dia a dia.



Cultura da inclusão

Valorizar a pluralidade de pensamentos e bagagens, bem como as características de cada pessoa é uma maneira construtiva de promover a cultura de inclusão. Isso enriquece o ambiente de trabalho, trazendo uma série de vantagens para a empresa, tais como:



  • Diversidade de ideias e mais criatividade;

  • Atração e retenção de talentos;

  • Ambiente empático e feliz, com melhor clima organizacional;

  • Colaboradores mais resilientes;

  • Maior reputação da marca;

  • Cumprimento de regulamentações;

  • Redução de conflitos internos;

  • Acesso a mercados mais amplos;

  • Promoção de uma sociedade mais justa.


Um estudo realizado pela Accenture em mais de 20 países e com mais de 15 mil pessoas mostrou que o maior potencial de inovação e sucesso de um negócio está ligado diretamente à diversidade inclusiva da empresa.


Como você pode ver, são muitos os benefícios da cultura inclusiva; mas para que esta prática seja concreta, é preciso um aprofundamento que perpassa ações pontuais, como a adoção da linguagem inclusiva no dia a dia, por exemplo. Celebrar o diverso é normalizar o incomum à vista da sociedade. Faça parte deste movimento!



Linguagem inclusiva

Agora que falamos sobre a importância da diversidade no ambiente de trabalho, que tal conhecer alguns fatores que tornam as pessoas alvo de exclusão com frequência?


  • Status socioeconômico - 30%;

  • Xenofobia - 28%;

  • Mulheres - 24%;

  • Raça - 22%;

  • Orientação sexual - 9%.


Essa informação foi retirada de uma pesquisa do Instituto Datafolha, realizada com 2.077 pessoas de todas as partes do país. 



Status socioeconômico

Também conhecido de forma negativa como “classe social”, o status socioeconômico pode causar constrangimento para alguns profissionais. Um exemplo disso é quando as pessoas chamam outras de preguiçosas com frases como: “nasceu pobre e vai morrer pobre”. A linguagem inclusiva pode ajudar a desmantelar ideias preconcebidas e promover uma comunicação mais precisa das pessoas de baixo status socioeconômico.

Xenofobia

Cercada de estereótipos e generalizações, a xenofobia é um grande problema nas sociedades de muitos países. Falar que vai pedir “um japa” no iFood é um exemplo clássico disso, assim como chamar pessoas nordestinas de “Paraíba”, em tom pejorativo. Promover a conscientização sobre os direitos humanos e a importância do respeito mútuo entre pessoas de diferentes origens é fundamental para todos. 

Gênero

Comentários sobre o corpo da mulher, falas desmoralizantes e preconceito de gênero ainda são um grande problema nas corporações de todo o Brasil. A linguagem inclusiva propõe um combate a essas práticas, desmotivando comentários como “só podia ser mulher” quando acontecem erros ou teorias de que elas sobem de cargo apenas se estiverem se relacionando com o chefe.

Raça

Expressões como lista negra, boçal, denegrir, 'nas coxas' e muitas outras não devem ser usadas em hipótese alguma, uma vez que são termos negativos à raça negra, especialmente aqueles ligados à escravidão. A campanha “Black Lives Matters” é parte dos protestos contra a violência policial em relação às pessoas negras, que são as principais vítimas da violência policial. Muitas pessoas brancas se apropriam e editam este slogan, dizendo “todas as vidas importam”. Então, não seja mais um a fazer isso, combinado?

Orientação sexual

A sigla lgbtqiapn+ vem ganhando novas letras ao longo dos anos, mas precisamos entender o que elas significam, para assim tornar a linguagem mais inclusiva. Confira a lista: 

  • Lésbicas;

  • Gays;

  • Bissexuais;

  • Transexuais;

  • Queer;

  • Intersexo;

  • Assexuais/Arromânticas;

  • Pansexuais;

  • Não-binárias e mais.


Agora não dá pra errar mais, hein?!



Conclusão sobre a linguagem inclusiva

No ambiente corporativo, a linguagem inclusiva desempenha papel fundamental na promoção de uma cultura organizacional diversificada e mais acolhedora. Ela contribui para criar um ambiente equitativo, onde todos os colaboradores se sintam valorizados e respeitados, independentemente de sua identidade ou background.


Se você deseja aprender mais sobre como implementar a linguagem inclusiva no ambiente corporativo, te convido a conhecer agora nosso guia completo sobre este tema. 


26 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page